Brasil poderá ter lei que proíbe a venda de refrigerantes em escolas

Home / Diabetes / Brasil poderá ter lei que proíbe a venda de refrigerantes em escolas

Finalmente o cerco ao consumo indiscriminado de bebidas açucaradas começa a fechar no Brasil: o projeto de lei 1755/2007, que proíbe a venda de refrigerantes nas escolas de ensino fundamental (do 1° ao 9° ano) foi aprovado no último dia 8 de agosto pela Comissão de Constituição e de Justiça da Câmara de Deputados (CCJ).

 

Os riscos relacionados ao excesso de consumo de alimentos e bebidas com grandes quantidades de açúcar já são bem divulgados, mas acredito que uma lei como esta é muito importante, principalmente porque as crianças são o principal público-alvo de produtos alimentícios muito processados, como cereais matinais e refrigerantes, por exemplo.

 

LEIA MAIS – Cinco dicas para dominar a arte de ler os rótulos de alimentos

 

O consumo excessivo de alimentos de alto teor energético e pouco nutritivos, juntamente ao sedentarismo, são os principais “vilões” quando o tema é obesidade infantil. E, em geral, os alimentos industrializados seguem exatamente esta descrição: têm alto teor energético e são pouco nutritivos, causando danos profundos à saúde quando são consumidos como base da alimentação. A obesidade infantil já atinge 10% das crianças brasileiras e vem acompanhada, em muitos casos, de múltiplas complicações como diabetes, a hipertensão e outros problemas cardiovasculares.

 

LEIA MAIS – Diabetes infantil: como identificar e tratar

 

O projeto está pronto para ser votado no plenário da Câmara e, se for aprovado, será encaminhado ao Senado para apreciação. O andamento do projeto pode ser acompanhado no site da Câmara. Além disso, um outro projeto, que tramita no Senado, propõe a alteração dos rótulos de refrigerantes, que passariam a ter advertências obrigatórias sobre os problemas que podem causar à saúde.

 


* Toda orientação alimentar deve ser realizada por Nutricionista. Consulte um(a) Nutricionista e/ou Médica(o) para orientações sobre suplementação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *